O que estamos fazendo para preservar o nosso meio ambiente?

A produção de leite animal traz impactos negativos sobre o meio ambiente, tais como desmatamento e queimadas em pastagens e florestas, poluição por dejetos animais e agrotóxicos, erosão, degradação e compactação do solo e contaminação das águas. E as consequências são as reduções da população animal, extinções de espécies, diminuição da diversidade biológica e perda de variedades, entre outros. Seja no processo de criação, seja para a logística de alimentos, animais ou vegetais, o ambiente sofre um impacto maior em função dos grandes produtores. Para ajudar, você pode repensar o seu consumo, valorizando, por exemplo, pequenos produtores da sua região. 

  • Aproveite os ingredientes regionais e alimentos da estação;
  • Use o máximo dos alimentos. Verduras, folhas, sementes possuem alto valor nutritivo. Eles podem ser utilizados em diferentes receitas, o que ajuda a reduzir o lixo e o desperdício;
  • Falando em desperdício, procure se servir com consciência. Muitas vezes, colocamos no prato mais do que conseguimos comer;
  • A panela de pressão é sua aliada. Feijão, arroz, macarrão, carne, peixe, além de legumes e verduras cozinham mais rápido. Você pode economizar até 70% de gás assim;
  • Planeja o cardápio da semana.

Além disso, podemos ainda contribuir com outras várias ações. Veja algumas delas:

1- Use menos descartáveis


Já contou a quantidade de copos descartáveis que você usa durante o dia? Economize! Tenha sua própria garrafinha/squeeze ou caneca. Apesar de os copos descartáveis também serem recicláveis, se sujos de café, por exemplo, inviabilizam o processo.

2- Descarte com responsabilidade seu eletrônico usado


Em todo o mundo são produzidas 50 milhões de toneladas de lixo eletrônico por ano, segundo o Greenpeace.

Equipamentos eletrônicos têm sido um problema para o meio ambiente. Isso porque as pessoas trocam de celular, por exemplo, com frequência – e nem sempre sabem como descartar os produtos que estão fora de funcionamento. Procure pontos de coleta para levar seus aparelhos antigos. Lojas como Apple e Samsung já oferecem esse serviço, contribuindo para o descarte responsável

A ONG Comitê para a Democratização da Informática (CDI) recebe computadores e acessórios em bom estado para programas de inclusão digital, acesse o site www.cdi.org.br.

3- Separe seu lixo para reciclagem
Cada pessoa produz cerca de 1 quilo de lixo por dia. Multiplique pelas pessoas que há em sua casa e imagine tudo isso em um lixão.
Então, separe embalagens de papel, plástico, vidro e alumínio em sua casa e incentive seu condomínio e sua empresa a também fazerem a coleta seletiva. Se não souber onde entregar, consulte a Prefeitura de sua cidade.

4- Utilize apenas lâmpadas fluorescentes


Elas duram até dez vezes mais e economizam até um terço da energia elétrica (recurso natural). E durante o dia, apague a luz e abuse da iluminação natural, abra as janelas e cortinas. Já existem empresas especializadas na coleta e reciclagem de lâmpadas fluorescentes.

5- Desligue o monitor do computador


Este é o componente que mais consome energia no computador: 50% do total, segundo estudo realizado pela Faculdade de Engenharia Elétrica e Computação da Universidade de Campinas (Unicamp). Quando um monitor estiver desligado, essa porcentagem representa apenas algo em torno de 10% do consumo do computador.

6- Use sua própria sacola ao fazer compras


Cada brasileiro utiliza cerca de 800 sacolinhas plásticas por ano. Elas até podem ser recicladas, o problema é quando as usamos para colocar lixo. Lembre-se: o plástico pode levar até
500 anos para se decompor.

7- Economize água

Economizar água é, com certeza, uma das primeiras atitudes a serem reforçadas quando se fala em proteger o meio ambiente. 

A água, como sabemos, é vital para a vida de praticamente todo ser vivo. Porém, ela é finita. Um dia a água do planeta pode acabar, se não forem tomadas medidas necessárias para preservá-la. 

Escovar os dentes em cinco minutos com a torneira aberta gasta mais de 12 litros de água. Evite o desperdício: molhe a escova, feche a torneira enquanto escova os dentes e use um copo de água para enxaguar a boca. Economia: 11,5 litros de água.
Não se esqueça: a água é um recurso precioso, esgotável e raro em muitos lugares!

8- Não jogue óleo de cozinha na pia


Apenas um litro de óleo pode contaminar 1 milhão de litros de água. Guarde o óleo usado em garrafas PET e doe para entidades que o reutiliza na fabricação de biodiesel, sabão e detergentes.
Em São Paulo existem coletores em diversos locais da cidade, consulte: www.trevo.org.br

9-Plante uma árvore


Aproveite o Dia da Árvore (21 de setembro) e plante uma. Cada árvore pode absorver até uma tonelada de CO² (gás carbônico) do ar, além de 250 litros de água por dia do solo, evitando enchentes. Dê preferência às espécies nativas e não se esqueça de consultar a Secretaria do Meio Ambiente de sua cidade sobre as regras de plantio, no caso de calçadas, praças e parques.

10- Sustentabilidade no trabalho


Faça sua parte! Dê sugestões, simples como as apontadas nestas dicas, para que a empresa que você trabalha também implemente medidas de economia de energia elétrica, água e materiais de consumo.

Saiba mais sobre sustentabilidade:

– www.coletaseletivasolidaria.gov.br 

– www.ambientebrasil.com.br

www.planetasustentavel.com.br 

Leite vegetal X Leite de vaca

Os males do leite animal

Além da lactose para os intolerantes, o leite de vaca oferece outras características que não agregam muito ao bem-estar do corpo humano: uma grande fração de gordura saturada em sua composição e nenhum tipo de fibra.

Já os leites vegetais, além de serem menos alergênicos e terem menos gordura saturada, contêm fibras e são também ricos em ferro – outro nutriente que o leite animal não inclui em sua combinação. Os leites vegetais são mais saudáveis para consumo humano do que o leite de vaca.

Os benefícios do leite vegetal

Muitas oleaginosas, cereais ou até sementes, os leites vegetais podem se adequar tanto ao seu gosto quanto à sua necessidade nutricional e são ricos em cálcio, ômega-3, selênio, zinco e outros nutrientes.

Já com os leites vegetais industrializados, os mesmos não apresentam um bom resultado, visto que são incluídos muitos ingredientes desnecessários para se manter por muito mais tempo na embalagem tetrapark, tais como conservantes e aditivos.

A única coisa de interesse nutricional que passamos a consumir menos quando eliminamos o leite de vaca do nosso dia a dia é o cálcio. Mas isso pode ser substituído por outras formas, como com o consumo de vegetais verde-escuros como brócolis e couve ou até mesmo com o leite tirado de castanhas como amêndoas ou avelãs, todas fontes de cálcio.

Sendo assim, uma dieta que elimine o leite de vaca do cardápio não sofrerá tantas perdas como muitos imaginam. Na verdade, terá mais ganhos, já que todos os malefícios do leite de vaca ficarão de fora da sua dieta.

Leite Vegetal, bom para você, bom para o planeta!

%d blogueiros gostam disto: